A sigla GTIN vem do inglês, Global Trade Item Number, e significa número de série para venda de um produto

No vídeo abaixo, mostramos o que na prática são os códigos GTIN, NPN e NCM, necessários para poder vender na maioria dos marketplaces.

O GTIN é atribuído para qualquer item (produto ou serviço) que possa ser precificado, pedido ou faturado em qualquer ponto da cadeia de suprimentos. O código representa itens comerciais desenvolvidos e controlados pela GS1, antiga EAN/UCC. De forma geral, se refere ao número do código de barra de um produto.

Produtos comprados de fornecedores

Quando você compra o produto de um fornecedor, o código deve ser informado pelo fabricante. Por isso, peça essas informações ao fornecedor/fabricante para poder completar o cadastro dos produtos em sua loja.

Produtos de fabricação própria

Se você fabrica seus próprios produtos, é necessário solicitar ao GS1 um código de barras novo e exclusivo.

É válido lembrar que este é um serviço pago e deve ser renovado anualmente. Para saber mais informações sobre os preços e condições, visite o site do GS1.

💢 Importante: como mencionamos, cada produto deve ter um GTIN único, e por isso os serviços de marketplace pedem essa informação. Por meio dela, eles conseguem, por exemplo, identificar a matéria prima do produto e outras informações. Somente é possível ter um GTIN comprando o código de barras. Não é possível criar um código por conta própria, por isso se inventar um código, ele não será aceito e sua conta pode ser penalizada no marketplace.

Junto com o GTIN, os marketplaces costumam pedir outros códigos, como o MPN e o NCM. Caso ainda não conheça esses outros códigos, basta clicar nos links abaixo:

E se tiver qualquer dúvida sobre marketing e vendas da sua loja, acesse nossa Comunidade, visite essa categoria específica fale com outros empreendedores, parceiros e nossa equipe.

Encontrou sua resposta?